Segurança alimentar promove encontro nacional discutindo anemia falciforme

Ativistas somaram forças em evento sobre segurança alimentar (Foto: Maria Marques)

Anemia falciforme também se tornou num dos temas importantes debatidos no I Encontro Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional para População Negra, Comunidades Quilombolas, Povos e Comunidades Tradicionais. O evento, ocorrido nos dias 5 e 6, na cidade de Guarapari (ES), promovido pelo CONSEA Nacional, contou com a participação do diretor de Comunicação Social, jornalista Dalmo Oliveira, e da vice-presidente da Associação Gaúcha de Doença Falciforme (AGAFAL), Helena Costa.

Oliveira participou na condição de conselheiro estadual da Paraíba e da cidade de João Pessoa, onde a Associação Paraibana de Portadores de Anemias Hereditárias (ASPPAH) tem assento. ”Estou na Comissão Organizadora da conferência estadual aqui da Paraíba. Mas me posicionei também como diretor da FENAFAL, onde pude fazer esclarecimentos acerca das diferenças entre anemia ferropriva e falciforme”, relatou.

Ele informou ainda que as entidades representativas das pessoas com doença falciforme conseguiram encaminhar propostas no GT de Saúde, cobrando a implementação de programas estaduais e municipais de atenção integral às pessoas com esse tipo de hemoglobinopatia.

Além da boa oportunidade de visibilizar as problemáticas da doença falciforme no Brasil, os ativistas fizeram contatos individuais com pessoas interessadas diretamente na questão. Do Tocantins, contactamos o ativista quilombola André Luiz, envolvido na criação de uma associação de pessoas com DF. Ele falou duma pesquisa feita recentemente em comunidades quilombolas daquele estado que detectou alta prevalência da hemoglobina S.

Em sua fala para a plenária, Dalmo ressaltou a importância em estimular o controle social para políticas públicas, como a da segurança alimentar, que tem uma interface importante com as da saúde, e da promoção da igualdade racial. Ele defendeu a criação de um fórum de entidades para o intercãmbio de ativistas dos movimentos sociais que atuam em conselhos de direitos públicos. O diretor da FENAFAL defendeu ainda que sejam criados organismos municipais para execução e gerência das políticas públicas de segurança alimentar e de outros temas, nas cidades onde o poder público local não assuma tais políticas. “Precisamos entender que a função do controle social tem que ser também de co-gestora, junto aos poderes públicos constituídos.

Flagrante da travessia da ponte que liga Vitória à Vila Velha (Foto: Dalmo Oliveira)

O jornalista lastimou a falta de serviços de internet sem fio gratuita para os participantes do evento, e da ausência da mídia local para cobertura jornalística do evento. A pouca acessibilidade do local também dificultou a vida de alguns convidados.

One Response to Segurança alimentar promove encontro nacional discutindo anemia falciforme

  1. marcia disse:

    Sou portadora do traço falcêmico e gostaria de saber se no ES tem alguma Lei, decreto, etc que possibilita ao portador da anemia falciforme, se ausentar do trabalho para realizar transfusões de sangue sem que isso se transforme em faltas ao trabalho, mesmo apresentando atestado médico. Vivo em constante discriminação por uma diretora e preciso estar amparada por alguma lei.
    Por favor, se alguem souber e puder me responder, fico imensamente grata.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: