Herança genética da anemia falciforme tem oficina no Recife

Fotos: Lú Streithorst
Público recebeu instruções sobre a origem da doença falciforme
Público recebeu instruções sobre a origem da doença falciforme
Cerca de 100 pessoas compareceram à abertura da oficina
Cerca de 100 pessoas compareceram à abertura da oficina

O público recebeu instruções sobre origem da doença, normas mais adequadas de atendimento com pacientes diagnosticados e orientações genéticas

Por Natália Keise

Durante a tarde desta terça-feira (10), cerca de 100 pessoas compareceram à abertura da oficina com foco na promoção da educação em saúde na informação e orientação genéticas. O evento é direcionado para representantes de estados e municípios do Nordeste, dentre eles, Salvador e João Pessoa. O evento é uma parceria da Secretaria de Saúde do Recife com o Ministério da Saúde.

Na ocasião, o público recebeu instruções sobre a origem da doença falciforme, mais presente em indivíduos afrodescendentes; normas mais adequadas de atendimento dos pacientes diagnosticados com a enfermidade e orientações genéticas.

Além disso, os profissionais foram contemplados com uma dinâmica de grupo, onde os participantes puderam trocar informações e conhecer o trabalho desempenhado por colegas de outros estados ou municípios do nordeste.

A médica geneticista e assessora do Ministério da Saúde, Drª Helena Pimentel, comentou sobre a proposta da atualização: “A reunião é uma maneira de capacitar os profissionais vindos de diferentes lugares do Nordeste sob o ponto de vista do diagnóstico da doença falciforme e genética da moléstia. Além disso, é uma forma de aprimorar o conhecimento dos trabalhadores quanto ao atendimento à população e para que eles sejam agentes multiplicadores da informação”.
A médica da Gerência de Atenção Ambulatorial e Assistência Hospitalar (GAAAH), Erika Siqueira, participou do encontro. “O momento é importante, pois esclarece de maneira bem dinâmica a doença com os profissionais da rede, comentando, sobretudo os mitos existentes por trás da enfermidade, cedendo espaço também para que sejam tiradas as dúvidas e feitos questionamentos”, disse.

Mais ações – Nesta quarta-feira (11), das 8h às 12h30, haverá o segundo e último dia da mobilização. O fechamento da ação ocorrerá no Hotel Barramares, situado na Avenida Beira Mar, 544, Piedade, Jaboatão dos Guararapes.

Saiba mais – A anemia falciforme é uma modificação dos glóbulos vermelhos causada por alterações genéticas. As hemácias de quem tem o problema podem causar obstruções dos vasos sanguíneos, que geram dores de intensidade variáveis e lesões em órgãos, músculos e juntas.

Os principais sintomas são palidez e icterícia (amarelado na parte branca do olho). Pode causar úlceras nas pernas e maior propensão a infecções. A anemia falciforme não tem cura, mas tratamento. Quem sofre com a enfermidade pode ter uma vida normal, desde que siga alguns cuidados. Exames e orientação sobre a doença estão disponíveis gratuitamente na Rede Municipal de Saúde.

//////////////////////////////////////

fonte: http://www.recife.pe.gov.br/2011/05/10/recife_discute_anemia_falciforme_com_representantes_do_nordeste_176497.php

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: